Doencas CardiovascularesO coração é um órgão vital, não há como viver sem, o batimento é vida. Mas junto com ele, por diversos fatores, vêm as doenças cardíacas, e muitos desconhecem sua gravidade. Porém, são as que mais atingem a população e levam ao óbito.

É o resultado de uma sociedade totalmente industrializada, que não possui uma vida saudável e mantem hábitos inadequados como alimentação incorreta, falta de atividades físicas, vida acelerada e estresse. Existem também fatores genéticos e problemas que não podemos controlar, mas o principal cuidado que precisamos ter é estar com a nossa saúde em dia, pois os descuidos podem causar problemas anos depois.

Para tomar algumas precauções é preciso entender melhor. Veja aqui um pouco mais sobre o coração, quais são os tipos mais frequentes das doenças cardíacas, os fatores de risco, como cuidar da sua alimentação para evitar maiores complicações e como prevenir.

Fatores de Risco - Doenças Cardíacas

São vários os fatores de risco para doenças cardíacas que são classificados como imutáveis e mutáveis.

Fatores de Risco Imutáveis

Herança Genética: pessoas que possuem um histórico familiar de doenças cardíacas, estão muito propensas a desenvolvê-las.

Idade: o aumento da idade se associa a muitas mudanças no organismo que influenciam nos fatores de risco. A maioria dos casos ocorre com pessoas acima de 65 anos; mas, para os homens, o risco começa a partir dos 45 anos, e, para as mulheres, 55 anos.

Sexo: Os homens possuem mais chances de ter doenças cardíacas e, principalmente, o ataque cardíaco. 

Fatores de Risco Mutáveis

Colesterol elevado: Quanto maior for o nível de colesterol (LDL) no sangue, maior é o risco, pois contribuem para o entupimento das artérias, veias e vasos, um dos fatores que mais contribuem para as doenças cardíacas.

Pressão arterial alta: A pressão arterial é uma tensão gerada na parede das artérias, e o coração precisa realizar um trabalho maior quando a pressão está elevada. Com o tempo, esse procedimento vai hipertrofiando o músculo cardíaco, que se dilata e fica mais fraco conforme o tempo.

Obesidade: a obesidade faz com que haja um esforço maior do coração, o nível de colesterol aumenta, a pressão arterial também, correndo o risco de ter trombose pelo longo tempo de imobilidade e pelos altos níveis de homocistina no sangue.

Sedentarismo: provoca o desuso regular dos sistemas funcionais; os órgãos entram em um processo de regressão funcional. As chances de adquirir obesidade, hipertensão, diabetes, colesterol alto, é Tabagismomuito alto para quem não praticaa atividades físicas.

Fumo: a nicotina aumenta a frequência cardíaca e a pressão arterial, atua na elevação do colesterol e provoca o aumento da coagubilidade do sangue. O risco de um fumante ter uma doença cardíaca é duas vezes maior do que um fumante passivo (não fumante), sem contar que, gestantes com histórico de fumantes correm o risco de terem filhos com doença cardíaca congênita.

Diabetes: é um nível elevado de glicose no sangue que agride as artérias que levam o sangue até o coração. Quando muito agredidas provocam as doenças cardíacas. A diabetes também contribui para o agravamento da hipertensão e do colesterol alto.

Alcoolismo: grandes quantidades de álcool provocam lesões no coração, sendo o ponto de partida de muitas doenças cardíacas. Provoca inúmeros problemas, não só cardíacos: arritmias, AVC, tromboses, câncer, amnésia, inflamações no fígado, esôfago, estômago, entre outros.

Estresse: é um grande meio para obter altos níveis de pressão arterial, afeta o sistema nervoso, e também, como consequência, influência na má alimentação, no uso de álcool e tabaco.

Anticoncepcionais Orais: para mulheres que já possuem um diagnóstico de hipertensão e diabetes, ou fumantes, o uso dos anticoncepcionais orais pode ser um risco ainda maior para doenças cardíacas.

Prevenção de Doenças do Coração

A prevenção das doenças cardíacas devem se iniciar aos 20 anos. E nos pacientes com 40 anos ou mais, recomenda-se que os médicos calculem qual o risco de contrair uma doença nos próximos 10 anos, para que os cuidados sejam redobrados.

As doenças cardiovasculares, muitas vezes, são herdadas geneticamente. Procure saber o seu histórico familiar e esteja atento, pois você pode estar totalmente propício. Faça exames com grande frequência, pois nem todas as doenças possuem sintomas perceptíveis ao paciente, ou quando percebem, já está em um nível avançado.

Os principais fatores de risco para as doenças cardíacas incluem a pressão arterial alta, o colesterol elevado, sedentarismo, obesidade, diabetes, tabagismo e alcoolismo.

Exercício FísicoComo Prevenir?

- Estabilidade correta da pressão sanguínea: sempre abaixo de 140/90 mm Hg;

- abaixo de 130/85 mm Hg- para pessoas com lesão renal ou insuficiência cardíaca; 

- abaixo de 130/80 mm Hg - para pessoas com diabetes.

  • Diminua o colesterol para o nível adequado (individual), que é baseado no cálculo do risco pessoal;
  • Pratique pelo menos 30 minutos diários de atividade física, ou em dias alternados. O exercício físico é essencial para a vida saudável;
  • Alcance e mantenha o peso ideal, pois o peso inadequado é um importante fator de risco;
  • Mantenha uma alimentação saudável;
  • Regule o nível de açúcar e gordura no sangue;
  • Corte o consumo de fumo e álcool;
  • Para prevenir doenças como a TVP, é adequado não ficar na mesma posição durante muito tempo, caso trabalhe sentado, levante periodicamente. Caso corra realmente o risco, tome anticoagulantes;
  • Para quem tem fibrilação atrial, indica-se o uso de antiagregantes e anticoagulantes;
  • Para pessoas que possuem um risco maior para doença coronária, o uso da aspirina em baixas doses é recomendado.

O tratamento das doenças cardíacas depende do caso e do nível em que a situação esteja. Para os níveis mais simples, o acompanhamento médico junto com a medicação adequada e com a prática de alguma atividade específica, há como manter quadro estável ou ajudar na cura do problema. Para os níveis mais complexos, é preciso a intervenção cirúrgica, seja com práticas reparadoras, paliativas e até mesmo o transplante.

Funcionamento do Coração

Para entender melhor sobre as doenças cardíacas, é preciso entender como funciona o coração:

O coração é um órgão muscular, oco, que se situa na cavidade torácica, entre os dois pulmões. Seu funcionamento é involuntário, e possui um sistema independente. O sistema nervoso age no sentido de adaptar seu funcionamento às necessidades dos órgãos ao redor. É formado por duas cavidades, direita e esquerda, e essas duas possuem mais duas cavidades, os átrios (superiores) e os ventrículos (inferiores). Os átrios e os ventrículos trabalham juntos, se contraem e relaxam alternadamente para bombear sangue pelo coração.

Coração HumanoFunciona como uma bomba, que recebe o sangue das veias e impulsiona para as artérias.

Átrios: Recebem o sangue das veias.

As veias pulmonares transportam ao átrio esquerdo o sangue “limpo” que já foi oxigenado pelo pulmão, e as veias cavas, transportam para o átrio direito o sangue com resíduos.

⇒ Ventrículos: ao se contraír, bombeiam o sangue do coração para as artérias.

O ventrículo esquerdo alimenta a aorta (envia sangue para todos os órgãos, principal artéria), e o direito alimenta a artéria pulmonar (envia o sangue aos pulmões).

Artérias: são vasos sanguíneos que possuem a função de transportar o sangue a partir dos ventrículos, para todas as partes do copo.

⇒ Veias: fazem o caminho contrário, transportam o sangue para os átrios do coração.

O coração tem 4 válvulas, que possuem a função de fazer com que o sangue siga sempre a direção dos átrios para os ventrículos:

  • Válvula Mitral: localiza-se entre o átrio esquerdo e o ventrículo esquerdo;
  • Válvula Tricúspide: localiza-se entre o átrio direito e o ventrículo direito;
  • Válvula Aórtica e Válvula Pulmonar: localizam-se entre os ventrículos e os principais vasos sanguíneos que partem do coração.